quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

QUANDO VOCÊ TOCA


Sinto sua essência, genialidade, sua arte boêmia,
sinto a vida revigorando em mim.
Me embalo nessa brincadeira tão gostosa,
que é tão difícil querer seu fim.
Você têm toda malandragem carioca,
E por isso não me importo que às vezes
[encare com desdém os meus cuidados.
Eu só penso no seu bem...
Meu benzinho, meu Rio de Janeiro...
Sua alegria bossa-nova me alucina, e claro
através dela é que a gente se aproxima.
- Nada de melodia.
Você é música, que contém todas as canções,
Tão completa, que emana todo princípio sentimental.
Ao retribuir a canção, encosto seu ouvido ao meu peito
[para ouvir as batidas que me transcendem noutro tempo.
Quando você toca a vida se abre pra mim.


Marcela Barreto

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

EU FICO



Apesar da porta estar rarefeita aberta
Eu nunca, nunca conseguirei partir.
Mesmo quando você diz...
Que meu sal e açúcar não basta para
     [completar o tempero da sua degustação.
Apesar da imensa dor, ainda não desisto...
Acima de qualquer coisa, há esperança,
sobrepondo minha afirmação renegada:
- Se o amor é único, porquê deixá-lo partir?
Vou ao fundo do poço,
Vou ao abismo mais obscuro,
Vou à insanidade,
Vou ao mar, azul e profundo...
Se preciso, vou ao tempo.
Lembrar-te o ato em que a vida sobrou tanto.




Marcela Barreto


quinta-feira, 8 de março de 2012

MULHERES




Uma mulher,
que espalhou sua beleza pelo universo,
Antes de chegar a essa vida,
que foi pra tornar inverso,
A ordem de chegada de tudo que é belo...
Primeiro ela, depois tudo, e assim se fecha o elo.
Em tudo que é bom ou tem vida,
Um pouco dela se pode encontrar.
Dia da mulher!? Nem ouse pensar!
Está acima de qualquer criatura,
Que o humano possa enxergar...
Todos os dias são pra ti,
por isto venho lhe homenagear.

Embora não sei o que faço!
O meu amor era pra ser somente seu,
mas como fazer para não amar
todas as outras que você tem deu?



Marcela Barreto

quinta-feira, 26 de maio de 2011

DOCE


foto de Marina Hungria